fbpx
Entre em contato pelo Telefone(41) 3343-5015

[GUIA DEFINITIVO] Tudo o que você precisa saber sobre chip M2M

Conheça a “pecinha” que chegou para ficar no mercado de telemetria (M2M) e Internet das Coisas (IoT).

O que é um chip M2M

Para entender o que é um chip M2M, é necessário compreender o contexto em que ele está inserido.

M2M vem do termo em inglês machine to machine (máquina a máquina) e designa a comunicação entre dispositivos, de maneira remota. Então, para que uma comunicação seja considerada M2M, as máquinas precisam se comunicar sem fio e sem a intervenção humana.

Essa comunicação, chamada de telemetria, pode acontecer através de meios como radiofrequência, wi-fi, satélite e rede GPRS (General Packet Radio Service).

A rede GPRS é hoje uma das opções mais utilizadas para comunicação de aplicações de telemetria e Internet das Coisas no Brasil, por ser mais barata que as outras formas de comunicação M2M.

Isso porque ela nada mais é do que a rede de telefonia celular fornecida pelas operadoras que nós utilizamos em nossos smartphones (2G, 3G e 4G), então os dados trafegam através de estruturas já existentes.

Além de ser mais barata que as outras opções, não é necessário se preocupar com a manutenção da rede: já que as operadoras são as detentoras de sua estrutura, a manutenção fica a cargo delas.

A telemetria permite a medição e transmissão remota de dados através da rede GPRS. E, assim como em nossos smartphones, é o chip que permite que os dados cheguem de um aparelho a outro.

O chip M2M, então, serve para possibilitar o tráfego de dados entre máquinas por meio da rede GPRS. Por operar nessa rede de telefonia celular que já existe no Brasil, o chip M2M funciona em todo o território nacional.

A comunicação proporcionada pelo chip M2M consegue trafegar tanto na APN pública quanto na APN privada. Na APN pública, ela está competindo tráfego com demais transmissões, como conexões de internet de smartphones, mensagens e ligações.

Solicitar orçamento de chip M2M

                 APN Pública  (congestionada)                                 APN Privada (estabilidade)

Se a comunicação trafegar na APN privada, terá prioridade no acesso às torres de telefonia, então a transmissão de dados fica mais segura e estável, melhorando a qualidade da internet de 30 a 40%. Em áreas rurais, o aumento da qualidade é considerável, podendo ultrapassar esses números.

APN Privada

 

O chip M2M também é conhecido como chip de dados, chip de telemetria ou sim card M2M.

Um chip de telemetria é parecido com um chip comum de celular, porém é mais robusto. Ele precisa ser mais resistente por conta do local onde será utilizado: em alguns casos o chip de dados fica em dispositivos localizados a céu aberto, sob chuva, sol, oscilações de temperatura, perto de motores e maquinários que vibram e o aquecem.

Então, o material com que é feito o chip M2M garante maior resistência a impactos, umidade, altas e baixas temperaturas.

Leia também: Quais as principais diferenças entre M2M e IoT?

Principais aplicações do chip de dados

A rede GPRS é amplamente utilizada no Brasil, por isso a grande maioria dos módulos e dispositivos de telemetria já vêm com um slot de sim card instalado na placa. Então, podemos dizer que a maior parte das operações que necessitam de comunicação remota entre aparelhos pode utilizar um chip M2M.

Abaixo, confira os segmentos mais comuns que utilizam esse tipo de comunicação.

Logística (telemetria veicular)

O segmento de telemetria veicular visa a gestão de frotas, rastreamento e monitoramento de veículos. Nessa área, é necessária uma comunicação contínua, estável e de longo alcance para acompanhar os veículos por longas distâncias e grandes períodos.

Nesse ramo o chip M2M pode ser utilizado no rastreador para acompanhar a localização do veículo em tempo real. Assim, quando há uma mudança na rota ou uma parada não planejada, é possível entrar em contato com o motorista imediatamente, prevenindo acidentes e assaltos.

Com a telemetria veicular também é possível medir a velocidade em que os veículos estão trafegando, as condições do motor, quantidade de combustível no tanque e quando será necessária a troca de pneus, óleo, entre outros.

Solicitar orçamento de chip M2M

Segurança patrimonial

A telemetria na área de segurança patrimonial garante a redundância da comunicação para a transmissão das imagens e vídeos para a central de segurança.

Neste sentido, a rede GPRS é utilizada por meio do chip de telemetria instalado nas câmeras e demais dispositivos.

Desta forma, caso haja interrupções na comunicação via cabos, a comunicação M2M continua por meio da internet móvel.

Meios de pagamento

Os terminais P.O.S são dispositivos que permitem transações por meio de cartões de crédito e débito.

Estão presentes no comércio em geral, restaurantes e em vending machines alocadas em instituições privadas como hospitais e aeroportos.

Dentro desses equipamentos geralmente há um chip M2M para garantir a comunicação para as transações financeiras, caso o wi-fi do local falhe, e também para possibilitar o pagamento via delivery, por exemplo.

Utilities (água, luz e gás)

É perceptível uma movimentação de prefeituras para a automatização de serviços públicos como o abastecimento de água, luz e gás, com o objetivo de diminuir custos e evitar desperdício de recursos.

Não só prefeituras, mas muitas construtoras já estão incluindo em novas construções de residências, prédios comerciais e condomínios sistemas de telemetria para as utilities.

Nesses casos, a comunicação feita através do chip M2M pode servir a dois principais propósitos: o primeiro é possibilitar a transmissão de dados de consumo gerados por hidrômetros, medidores de vazão, gás ou energia.

O segundo propósito é poder usar a rede GPRS para a medição remota e controle de dados dos centros de distribuição, fronteiras de medição e reservatórios.

Ou seja, com a telemetria, é possível saber, por exemplo, volume e temperatura da água, pressão com que ela passa pelos canos e, no segmento de energia, intensidade da corrente elétrica.

Saiba mais sobre este assunto:

Medidores inteligentes: qual sua relevância na gestão de medição de energia?

Smart City (Cidades Inteligentes)

A utilização da telemetria nas Smart Cities tem o objetivo de contribuir com a melhoria na infraestrutura dos municípios, visando a sustentabilidade e qualidade de vida do cidadão.

Por meio da gestão de recursos públicos, é possível melhorar a qualidade dos serviços prestados à população e reduzir os custos de algumas operações.

Além das próprias utilities (água, luz e gás), há vários outros processos dentro das cidades que podem ser automatizados com a telemetria: sistema de iluminação pública, sistema de semáforos, gestão da coleta de lixo, do trânsito e do transporte público são apenas alguns exemplos.

Várias cidades ao redor do mundo já estão implementando essas novas tecnologias, como Tóquio e Amsterdam. No Brasil, algumas capitais estão se voltando para o tema, como é o caso de Curitiba, onde já existe a gestão de toda a frota de biarticulados por meio da comunicação via rede GPRS.

No Ceará, está para nascer a Smart City Laguna, uma cidade inteligente construída do zero e já considerada a primeira Cidade Inteligente Social do mundo.

Smart Grid

Por conta do custo benefício, a comunicação via rede GPRS também está sendo utilizada nas chamadas Smart Grids (redes elétricas inteligentes). O objetivo desta área é a automação do sistema elétrico das cidades, visando a eficiência energética.

Eficiência energética: o que é e como se beneficiar dela!

Através de sensores que contam com chips de telemetria e são distribuídos ao longo de toda a rede, é possível monitorar o consumo de energia de casas, edifícios e fábricas, permitindo o gerenciamento e o uso mais eficiente dela. Além disso, é possível identificar mais rapidamente quando há anomalias na rede.

Smart Grid: saiba tudo sobre as redes elétricas inteligentes!

Indústria 4.0

A indústria 4.0, também conhecida como Quarta Revolução Industrial, é caracterizada por tecnologias como a inteligência artificial e Big Data. Dependendo da aplicação, também é possível utilizar a rede GPRS para transmitir dados de forma remota nas indústrias.

O chip M2M, nesses casos, permite que os dados produzidos pelas máquinas cheguem a um sistema para que eles sejam monitorados, com o intuito de promover a melhor gestão de recursos, evitar desperdícios e diminuir o custo de alguns processos.

Para usar a comunicação de telefonia móvel neste setor, basta que um sim card M2M seja instalado nas máquinas.

Leia também: IIoT: entenda o que é e quais mudanças ela traz para a indústria

Saiba mais sobre a indústria 4.0 no vídeo abaixo:

Solicitar orçamento de chip M2M

Qual o plano de dados ideal para cada aplicação?

Isso pode variar muito. Existem rastreadores, por exemplo, que consomem de 4MB a 50MB mensais. Tudo varia de acordo com a aplicação, por quanto tempo o equipamento ficará ativo e quais tipos de dados estão sendo transferidos.

Aplicações de imagens e vídeos, por exemplo, precisam de pacotes de dados bem maiores do que aplicações que enviam apenas códigos binários (texto).

Então, é necessário entender a aplicação, analisar a média de consumo de dados das linhas que já estão em uso para então saber qual franquia será suficiente para todo o mês.

 
Onde comprar um chip de telemetria

O mais indicado é adquirir o chip M2M com fornecedores como a Datatem.

Desta forma, é possível contar com uma solução completa, que vai muito além do chip:  comunicação + gestão + suporte + consultoria. Assim, é possível ter total controle da cadeia de transmissão de dados.

Dá para saber em tempo real se as linhas estão conectadas, quanto estão consumindo de dados, se houve alguma desconexão – e qual foi o motivo, dentre outras informações para tomadas de decisão assertivas.

Apesar de a mensalidade do chip M2M ser um pouco mais cara quando agregada a uma plataforma de gestão da conectividade, é possível otimizar a operação e até reduzir custos a longo prazo.

Por exemplo: imagine um empresário que possui uma base de 150 chips M2M e um cliente liga reclamando que uma linha não está se comunicando. O empresário então desloca a equipe técnica até o local para tentar identificar o problema e, chegando lá, constatam que o problema não está no aparelho.

Então, o empresário liga para a operadora para tentar entender o que está acontecendo. Aí descobre que, na verdade, a comunicação foi interrompida porque a linha estourou o pacote de dados contratado.

Esse processo todo pode levar algumas horas e até um dia inteiro, considerando o tempo de deslocamento da equipe técnica até a identificação do real problema.

Já com uma plataforma de gestão da conectividade, o cenário seria outro: o cliente liga para o empresário e reclama que uma linha não está se comunicando. O empresário abre a plataforma de gestão online, pesquisa a linha pelo nome e vê que ela já consumiu a franquia do mês. Ele então relata para o cliente e já solicita o upgrade para a linha voltar a comunicar. Tudo isso em questão de minutos!

Percebe como uma plataforma de chip M2M economiza tempo, dinheiro e transtornos? Ou seja, quando a preocupação está apenas em pagar barato no sim card, o barato pode sair caro!

O chip de telemetria também pode ser adquirido diretamente com as operadoras de telefonia móvel ou em revendas autorizadas. As revendas são, aliás, a melhor alternativa para quem deseja apenas 1 chip para uso em rastreadores particulares, por exemplo.

Ao procurar estas revendas autorizadas, é preciso explicar onde o chip M2M será usado para que o vendedor possa indicar o melhor pacote de dados.

Confira a seguir quais operadoras disponibilizam chip M2M no Brasil.

Principais problemas com o chip M2M

Configuração errada do equipamento

Em boa parte dos casos em que o chip de telemetria não se comunica é porque o aparelho em que ele está não foi configurado da maneira correta.

Cada equipamento em que o chip M2M é instalado tem uma forma diferente de ser configurado. Então, tendo o nome e a senha da APN desejada, o ideal é perguntar para o fornecedor do aparelho a maneira correta de configurá-lo.

Pacote de dados insuficiente

Muitas vezes o chip de dados deixa de se comunicar ou transmite dados mais lentamente porque o pacote de dados contratado acabou e a operadora/fornecedor cortou o sinal. O ideal é analisar a média de consumo dos seu sim cards mês a mês e adquirir uma franquia ideal para a aplicação.

Com uma plataforma de gestão da conectividade, é possível ir além: dá para acompanhar online o quanto cada chip M2M está consumindo e então ter certeza de qual pacote de dados é o melhor para a aplicação.

Além disso, se algum chip apresentar um consumo acelerado, é possível ver com detalhes quais foram as conexões que ele fez e descobrir se o equipamento está com problemas ou se o usuário está utilizando de forma indevida.

Nível de sinal baixo

O nível de sinal de cada operadora pode variar de acordo com a região e, dependendo de onde a operação de telemetria está localizada, a comunicação das aplicações pode ser impactada.

É importante, então, fazer uma pesquisa antes de adquirir um chip M2M para verificar qual operadora tem o melhor nível de sinal na região desejada.

Neste sentido, a solução da Datatem pode ser muito útil, pois apresenta um mapa de calor multioperadora.

Assista uma demonstração da plataforma

Sim card danificado ou mal posicionado

O chip M2M é mais resistente do que um chip comum, mas não é indestrutível. Quando submetido a mudanças drásticas de temperatura, umidade e vibrações contínuas, pode sofrer algum dano.

Outro problema comum é o mal posicionamento do sim card dentro do aparelho. Muitas vezes é inserido de maneira errada ou se desencaixa justamente pela vibração excessiva causada por motores e maquinários ao redor.

Nesses casos, é ideal verificar se o chip de telemetria está bem encaixado no aparelho e, se ele estiver danificado, realizar a troca.

Problemas com o equipamento

Também pode ser que o seu chip de dados não consiga se comunicar porque o aparelho está funcionando indevidamente. Isso pode ser identificado por meio de uma plataforma de gestão da conectividade como a da Datatem.

Sabendo exatamente o que interrompeu a comunicação, fica mais fácil resolver o problema e até mesmo evitar deslocamentos desnecessários de uma equipe de técnicos a campo, o que gera gastos desnecessários.

Solicitar orçamento de chip M2M

Dúvidas frequentes:

Chip M2M é ilimitado?

Não, o chip de telemetria contempla um pacote de dados contratado com a operadora ou fornecedor. Se ultrapassar a franquia contratada, poderá ser cobrado um valor adicional, as linhas podem ser bloqueadas ou começar a trafegar dados mais lentamente.

Algumas operações de telemetria têm transmissões que utilizam uma quantidade pequena de dados então, se o pacote contratado for grande, a impressão que se tem é de que é ilimitado.

Existe chip de dados multioperadora?

Um chip de telemetria que se conecta a todas as operadoras ao mesmo tempo não existe.

Os chips M2M multioperadora, ou multiconexão, que existem no mercado operam através de um acordo de roaming entre as operadoras e empresas menores que fornecem esses sim cards.

Roaming é a capacidade de uma linha de determinada operadora chegar em áreas fora do alcance geográfico da mesma, através da estrutura de outra operadora.

Ou seja, os chips se conectam a uma operadora por vez, pegando “emprestado” as suas torres de telefonia celular para que aquela linha consiga chegar ao seu destino.

Hoje, uma das principais operadoras que vendem chip M2M multioperadora no mercado é a Algar Telecom.

Esse chip multiconexão conta com um acordo de roaming entre 4 operadoras: TIM, Claro, Vivo e a própria Algar, podendo ser adquirido direto com a operadora ou com fornecedores de chip M2M, como a Datatem.

Chip M2M manda SMS? Faz e recebe ligações?

Um chip de dados pode tanto receber quanto enviar mensagens, mas é preciso solicitar à operadora a liberação deste serviço.

Porém, esse tipo de sim card não consegue fazer nem receber ligações.

É possível enviar comandos com o chip de telemetria?

Sim, através de SMS é possível enviar comandos para o equipamento em que o sim card está instalado. Os comandos podem variar de aparelho para aparelho, então é necessário verificar no manual ou direto com o fornecedor do equipamento.

Chip de telemetria pode ser utilizado em modem?

Não, esse tipo de sim card é indicado para tráfegos menores, como o de textos. Para transferência de imagens e vídeos, é necessário utilizar chip banda larga.

O que acontece se eu colocar um chip M2M no celular?

A internet funcionará normalmente, mas, como dito anteriormente, chip de dados não consegue receber nem fazer ligações. Então, o celular só serviria como ponto de acesso à internet.

Existe aluguel de chip M2M?

De certa forma, adquirir um chip de dados com fornecedores ou com as próprias operadoras não deixa de ser um serviço de aluguel. Afinal, paga-se um contrato mensalmente. A diferença é que, quando se cancela a linha, não é necessário devolver o sim card, mas ele é desativado.

Chip M2M funciona em hardware não homologado pela Anatel?

Com relação à fase de desenvolvimento do projeto, não deve haver problemas com interrupção de conexão, justamente porque se trata de um período de testes e porque a conexão não sofre com a falta de homologação.

De qualquer forma, é sempre importante se atentar aos padrões de segurança/técnicos regulamentados pela Anatel pois, caso haja bloqueio do equipamento, pode haver bloqueio do módulo e/ou número do IMEI.

Chip de telemetria funciona fora do país?

Não, a estrutura da rede GPRS cobre apenas o território nacional. Então, o tráfego de dados proporcionado pelo chip M2M funciona apenas no Brasil e não no exterior.

Em alguns casos, é possível habilitar o roaming internacional no sim card para que ele funcione em outros países, mas o custo pode ser elevado.

Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Comente aqui abaixo para que possamos deixar este guia ainda mais completo!

É possível fazer portabilidade do chip M2M?

Não. Diferentemente de outras modalidades de chip de telefonia móvel, no caso do chip M2M não é possível fazer a portabilidade, ou seja, não é possível trocar de operadora mantendo o mesmo sim card.

Por isso é importante desde o início contar com um fornecedor consolidado no mercado e que preste um serviço de qualidade, pois podem ser incalculáveis os prejuízos de ter que substituir toda uma base de chip M2M ao longo do tempo.

Solicitar orçamento de chip M2M

Leia também: O que é APN e qual sua importância para o mercado de telemetria?

 


Warning: preg_match(): Compilation failed: invalid range in character class at offset 12 in /home/datatem/www/wp-content/plugins/js_composer/include/classes/shortcodes/vc-basic-grid.php on line 184

Gestão de Chips M2M Datatem

Nosso blog está repleto de excelentes exemplos de como as mais diversas indústrias […]

Conheça os novos protocolos para comunicação entre máquinas: NB-IoT e LTE-M!

Com as aplicações M2M e IoT em expansão, estão sendo implementadas no Brasil […]

Novidades na área de telemetria? Saiba antes que todo mundo!

    Copyright 2018 | Todos os direitos reservados a Datatem | Política de Privacidade

    Associated with 

    Scroll Up
    Iniciar conversa
    Olá, gostaria de receber um orçamento personalizado.